Altos e Baixos...



Quando desço não rebaixo do salto
Desço as escadas sem criar barulho
Para não ter do peito gritar alto
Da promessa feita nó no embrulho

Desato em laços de mil carinhos
De nossos corpos vivendo no tesão
Da língua presa em suaves caminhos
Na descoberta da pele do sei não

Feito marinheiro sem ter do dinheiro
Em remo seguro no rumo do mar
Sem fazer ondas de deixar-me inteiro

Vou à volta prometida de juras
Do amanhã igual ter camas trocadas
Com roupas limpas de falsas mesuras

Esqueço do michê no criado-mudo!

 

Ramoore

 

Voltar

 

Página Principal