Adão e Eva



Hoje cheguei cedo em casa,
o peito em festa e o coração aos saltos,
tropeçando em desejos,
subi as escadas pulando os degraus.
Já sem camisa, tiro os sapatos
e sem meias palavras,
dispenso a bendita Benedita:

- Pode ir embora!
- A festa vai começar!
- Volte amanhã de manhã!

A bendita Benedita, com cara de santa,
dá com os ombros e um sorriso maroto,
diz com ares maternos:

- Vá devagar, meu santinho!
- O apressado come cru!
- Cuidado morreu de velho!
- Não esqueça da prevenção!

Sem escutar aos resmungos, atendo o interfone,
sinto o calor de sua presença:

- Pode mandar subir!
- Chegou a encomenda?
- Está gelado?
- Ótimo!
- Estou esperando!

A bendita Benedita, sacana como só,
vai saindo de mansinho e cantarolando:

- Quiero que me apertes...
- Pero, não mucho!
- Mas, que apertes!
- Quiero que me apertes...

Quando a campainha toca,
já estou abrindo a porta,
e com você em meus braços,
esqueço do corredor,
esqueço da porta aberta
e do síndico do 701...

Depois de abrir os olhos,
preso em seu abraço,
com o pé fecho a porta,
para ouvir seu nome
sussurrado ao pé do ouvido,
dizendo baixinho:

- Quem é esta louca?
- Passou por mim como um furacão!
- Me chamou de atendente domiciliar!
- Fez o sinal de cruz-credo!
- Me olhou de cima em baixo...
- E disse;
- Desta encomenda, eu como até embrulhada!

Eu, pensando na bendita Benedita,
me fiz de desentendido,
segurando bem firme em suas mãos,
fui desconversando e pensando na encomenda.
Perguntei com ares de quero mais,
trouxe tudo, vamos conferir?

Você me olhou com um jeitinho meio de lado,
um sorriso matreiro e disse:

- Acho que não quebrou nada!
- Está tudo inteiro!
- Mas, é sempre bom conferir;

- Meia maçã em fatias finas
- Seis rodelas finas de limão
- Meia colher (sopa) de açúcar
- Vinho branco seco, vamos usar três doses!
- Aguardente, bastam duas doses!
- Uma garrafa de champanhe gelado.

Depois de conferir a encomenda,
ainda sentindo suas mãos em minha mãos,
lembrei da jarra de cristal guardada
em lembrança do último caso,
esqueci do caso...
E fiz a mistura dos cinco primeiros ingredientes
colocando na geladeira,
pensei nos sessenta minutos de espera,
lembrei do vinho branco seco,
da metade da maçã, da metade do limão.
Da aguardente fiz uma caipirinha,
num copo, dois canudinhos
nos lábios, uma fatia de maçã...

No corpo, desejos de seu corpo
em desejos tão nossos, sem divisas,
dividindo do carinho,
do gosto ardente da aguardente,
da vontade de voar alto,
de ser único o sabor de vitória...

Levanto, já não sei se da cama,
ou do tapete, lembro de Adão e Eva,
lembro do paraíso, lembro da serpente,
lembro da maçã entre os dentes,
dá vontade de rir,
a cabeça está nas nuvens,
seu corpo saciado e suado pede bis...

Devagarinho, bem de mansinho,
desço a escada, degrau por degrau.
Na geladeira, Adão e Eva no ponto,
penso no preparo da mistura para seis,
quando, felizmente, somos dois.
Calculo de seis porções,
preparo duas em taças previamente geladas,
junto o champanhe até a borda das taças,
volto ao quarto,
com a mais pura das intenções,
tropeço em seus pés,
Adão e Eva misturam-se ao seu doce gostinho,
e com a ponta da língua sinto o prazer.

Ramoore

 

Receita



Adão e Eva


Ingredientes:
- 1/2 maçã em fatias finas
- 6 rodelas finas de limão
- 1 /2 colher (sopa) de açúcar
- doses de vinho branco seco
- 2 doses de aguardente
- 1 garrafa de champanhe gelado

Modo de preparar:
Junte os 5 primeiros ingredientes (menos o champanhe)
e deixe-os na geladeira por 1 hora.
Divida tudo entre 6 copos altos de champanhe previamente gelados
e encha estes copos com o champanhe.

Voltar


Poesia criada da receita de Irene Serra