Chá e Simpatia...




De tempo em tempo na tua procura
Em passos incertos do desencontro
Perco da razão tua verdade pura
Esqueço do caminho no confronto

Fico meio sem graça no imperfeito
Ao comungar do ficar preterido
Em mãos seguras junto ao peito
Corro e recorro do ter ferido

Na intenção de ser o teu protetor
Embalo da ilusão a liberdade
Do falso julgamento provoco dor

Na sina colhida de cada crença
Em pétalas soltas na tempestade
Vejo o renascer da esperança

E seguro da lágrima, o arrependimento...

Procuro de meus olhares perdidos
O reflexo no espelho quebrado
No que fui sem querer nunca ter sido
De cada conto em ponto mal dado

Conto da corte feita sem malícia
Do simples fato não ter entrelaço
Agora sei de minha imperícia
Em laços teus fazendo embaraço

Como intruso no teu caso sem caso
Fiquei preso como desencantado
De teus encantos soltos ao acaso

Não vi da simples magia pura e nua
De cada braço em abraço dado
No calor do sol e no branco da lua

Encontro teu sorriso, repartindo carinhos...

Peito aberto sem fazer vanglória
Sem esconder em ditos não sentidos
Do coração deixo fluir a vitória
Sem medos de atos arrependidos

Não pretendo da cruz reacender a luz
Das dores ficou o aprendizado
Do caminho que o tempo reconduz
Sem deixar o ser estigmatizado

Tirando do bem querer o mal querer
Em querer evitar falsos momentos
No consolo egoísta do entreter

Em desvio das águas o curso do rio
Na deriva de criar meus pensamentos
Deixo da pena cair e não sei se rio

Da palavra escrita, sinto presença bendita:


- Meu dengo, trouxe o chá!
- Demorei? Fiquei presa na NET!
- Estava vendo as atualizações!
- Menino, a Crys está arrasando.
- Parece que a primavera chegou antes.
- A Irene Serra com o Rio Total
- É, totalmente a própria imagem do talento.
- É tanta poesia no ar!
- Você sabia que a AVSPE está completando o primeiro aniversário.
- A Efigênia está de parabéns.
- Conseguiu, Universos de Poetas!
- Aproveitei para fazer uma visitinha no Site da Eda.
- E por falar em amor!
- A Maria Anjinho é só carinho.
- A Nadya está cheia de poesias novas.
- Vamos fazer de conta que estamos de casa cheia?
- Estamos em um Chá e Simpatia!!!
- É tanta gente a ser lembrada!
- Acho que vou pedir emprestadas as asas de um Beija-flor!
- E de amigos em amigos, vou colhendo do mel...
- Estou plena de tanto viajar nos versos do Ferdinando.
- E ando de passos dados no compasso do Cohen.
- O Cadú, é que anda meio sumido!
- Parece que está enrolado no HTML!
- E por falar em html.
- Você viu a formatação da Rita Belo, uma beleza!
- Meu dengo, acho que sem pressa vou conseguir visitar a todos!
- Não sei se interrompo seus contrapontos...
- Hum! Você estava sonetrando!
- Acho que conheço os personagem das entrelinhas.
- Deixa-me adivinhar?
- Claro! Desculpe, entrelinhas são para ficar entrelinhas.
- Mas, é que você está sendo tão claro.
- E as linhas fazem do alinhavo a costura perfeita.
- Não faça revisão, espere da reação!
- Ora, os riscos justificam do poeta no arrisco.
- Mas, que tal uns petiscos?
- Fiz uns bolinhos de chuva...

E no rodar das saias da Benedita
Benditas na arte ter improvisos
Sinto do vento a palavra dita
No convite ao chá sem remissos

Transformando formas de sentires
No traço mágico de usar emoções
Em simpatia de não deixar partires
Sem receita certa de tantas razões

Fico de alma lavada em destino
Junto ao mar de feitos e defeitos
Deixo na vazante ir o desatino

E com os pés pisando o sim e o não
Conto das ondas o ciclo perfeito
Batendo em mim e em meu coração

Apresso o passo, preciso colocar mais água no fogo...
Tem muita gente para tomar do Chá!



Receita e ingredientes

Uma chaleira de água fervente
Chá - saquinhos (tem quem chama de saché) com o sabor de sua preferência.

Açúcar, ou adoçante a gosto.

Use um bule de porcelana refratária
(é para manter o calor)
Coloque um a um o saquinhos, ou saché.
De acordo com os amigos, haja saquinho!
Mas, o importante é manter a proporção...
Jogue bastante conversa fora e dentro da roda.
E quando sentires do vento rodando as saias da Benedita.
Tenha certeza, o poeta está recebendo amigos.

Ramoore

 

Voltar