Nega Maluca

 




Sentindo da presença de lado olho para o lado
De olhos fechados com a alma solta em meus braços
Aperto do peito em abraço seguro de nossa troca
Sinto pulsar forte meu coração preso em suas mãos

Ainda no ritmo do cordão lembrando samba no asfalto
De pés em brasa no alto da plataforma vejo da cintura
Esguia entre o esguio não evitado sinto do desejo chegar
Em marcha descompasso meus passos e sigo aos seus

No andar empurrado em meio ao tesão emperrado no ontem
Na ausência de lábios com novos sabores em fazer pecado
No toque do tocar o corpo feito de formas conhecidas
Desconheço de seu nome e chamo de emoção o encontro

Encontro do prazer estar e ficar traçando de suas curvas
Curvando de meus sentidos o sentido único de amantes
Amo do olhar a linha reta feita no horizonte do acaso
Marcado no destino escrito em linhas desenhadas no nascer

Nasce da magia da cor na pele macia em caminhos e carinhos
Do ir e vir na procura dos pés deixo entrever de sua chegada
Chegando devagar na ginga do bem querer amar e fazer amor
Vivo do presente o presente ébano na etérea cor da alma

Envolvendo e envolvido no silêncio do pouso feito a dois
Depois do toque perfeito sem retoques de não me toques
Ouço o toque-toque conhecido e sempre repetido na cumplicidade
Da compreensão ouço a lembrança das horas passadas:

- Meu dengo, posso entrar?
- Olhe, já passam das cinco!
- Não vejo a hora de ir para a avenida!
- Hum.....
- Quem é que está debaixo do lençol?
- Pelo pés de fora, posso imaginar!
- Bem tratados, unhas cortadas.
- E o mais importante, sem meias...
- Desculpem, não sei usar meias palavras.
- Ui!
- Bati o pé no pé de mesa!
- Quero dizer bati o pé no pé da mesinha de cabeceira...
- Isso não importa.
- O que importa, é que não quebrei a unha!
- Passou!
- Meu dengo, enquanto você passa a fantasia...
- Eu vou fazer um lanchinho rapidinho!
- Não me olhe com esta cara!
- Gostei dos pés!
- Mas, não calço do número!
- Bem, vamos deixar de frescuras e levantar?
- Enquanto vocês tomam banho!
- Vou tirar o bolo do forno...

Reverenciando dos pés o santo a bendita Benedita sai de mansinho
Prendendo do riso no siso de quem conhece do amor alcovitar
Em segredo chamo um nome e olho de seus olhos o espanto
Espantado com tanta intimidade apenas escapam murmúrios:

- Foi por um triz!
- Será que ela me reconheceu?
- Não sei se me escondo, ou abro o jogo?
- Ela desfila na minha ala!

Pensando no abre-alas na escola da vida lembro discrição de amantes
Estudando do campo minado procuro e encontro da solução
E em sussurros sussurro a volta do desejo e faço de nossos desejos
Os desejos voltarem em vôo de corpos unidos no medo e no tesão...

Com a cara lavada no prazer desço a escada devagar
E qual anjo de asa quebrada apronto do amarelo o sorriso:

- Oi!
- Hum! O bolo está cheiroso!
- Posso dar um cheiro?
- Não! Não é no bolo!

A bendita Benedita não se faz de rogada e eu rogo do perdão
Sentindo dos pés trocados tropeço na cadeira e confesso da besteira
Deixo falar na confusão e vejo do riso solto nascer liberdade
Liberto meu braços e recebo do abraço no colo querido:

- Vem cá, meu dengo!
- Não precisa fazer esta carinha de anjo pecador!
- Dos pés conheço o caminhar de camas alheias.
- E não faço da aliança de uma noite, aliar meus passos no contrapasso.
- Mantenho em minha cadência, apenas o meu par.
- E de par em par, sigo, sempre fugindo do altar!
- Mas, assunto encerrado.
- Ouviu, a porta bateu?
- Não! Acho que foi apenas o vento de uma ilusão!
- Foi bom para você?
- Para mim, foi! Até encontrar o Zécão!
- Agora, que está tudo nos conformes, vamos matar a fome?

E sem perder do rebolado em ginga única do saber da vida
A bendita Benedita tira do forno o bolo cheirando afeto
Rindo com um gostinho especial na troca do prato feito
Ficamos fazendo contrastes na calda de chocolate

Sem esquecer do carnaval na avenida fico com receios
Do cair no samba e cair da plataforma no ponto alto
Do desfile desfilo minhas dúvidas do ser e não ter
Ouço da Benedita a voz irreverente para a ocasião:

- Ora, meu bem!
- Para quem dança tango em salto quinze!
- Sair na ala da Nega Maluca, é pura diversão!
- Vamos logo que a loucura vai recomeçar...

 

Ramoore




Receita

 




Nega maluca



INGREDIENTES:
3 ovos
1 e 1/2 xícara ( chá ) de açúcar
2 xícaras ( chá ) farinha de trigo
1 xícara ( chá ) de chocolate em pó ou achocolatado
1/2 xícara ( chá ) de óleo
1 colher ( sopa ) de fermento em pó
1 pitada de sal
1 xícara ( chá ) de água quente

Cobertura:


4 colheres ( sopa ) de leite
1/2 xícara ( chá ) de chocolate em pó
1 colher ( sopa ) de manteiga
1 xícara ( chá ) de açúcar


MODO DE PREPARO:



Bata os ovos com o açúcar, óleo, achocolatado e farinha,

depois adicione a água quente e por último o fermento em pó.

Asse em forno com temperatura média por 40 minutos, desenforme quente.


Cobertura:

coloque todos os ingredientes em uma panela e leve ao forno até que levante fervura,

despeje ainda quente em cima do bolo.



INFORMAÇÕES ADICIONAIS:



A receita pode ser preparada também no microondas em forma própria para esse forno.

O tempo de espera é de 7 a 9 minutos na potência alta.

Aguarde 20 minutos e desenforme
 

 

Receita do Site Tudo Gostoso

 

 

 

 

 

Voltar