Caju Embriagado




Das artimanhas em manhas nas manhãs sem ver do sol
No dourado de teus cabelos o brilho falso traz da ilusão
Feito do efeito sem jeito de esconder os olhos da lua
Contando estrelas no teto coberto de minhas procuras

No sabor dos lábios tocados e trocados nas esquinas
Deixo do eixo em giro girar no desalinho de promessas
Igual murmúrio do escuro canto fujo de tuas carícias
Em tropeços perco dos pés o chão da porta de saída

Sem mãos para guiar da liga vermelha presa na lapela
Enxugo do suor em manga manchada de aguardente
E me deixo levar no enlevo sutil de passos guiados
Na sinergia faço do inconsciente ato nascer à inércia

Com cara de maior abandonado no espelho embaçado
Risco de correr risco e me torno arisco de teus braços
No meu riso incontido de embriagado perco do desejo
Lembro da cor negra em raízes de teus cabelos mal pintados

Da tolice em crendice fico na mesmice do copo vazio
Na variação do desvario lembro das meias esquecidas
Calo do calo doer em recordações das noites de chuva
Abro da janela em pragas sentidas de mil arrependimentos

Ao contrário da ladainha esperada ouço de uma marchinha
E em passos de passista a bendita Benedita chega sambando:


Você pensa que cachaça é água
Cachaça não é água não
A cachaça vem do alambique
A água vem do ribeirão


- Olá, meu dengo.
- Cruzes, que cara é esta.
- Parece um caju amassado e embriagado.
- E por falar em caju!
- Cadê os aperitivos que eu fiz ontem de noite?
- O Zécão quer provar antes do almoço!
- E você não vai levantar?
- Hummm!!!
- Já sei, resolveu provar da fruta e se deu mal!
- Bem feito, quem mandou exagerar!
- De quem é a liga vermelha?
- Não vai me dizer que saiu de bailarina de cancã?
- Foi ao baile dos enxutos?
- Brincadeirinha, sei da fruta que gostas!
- Mas, não coloco a mão no fogo por ninguém.
- Então, era loura ou morena?
- Mais ou menos?
- Ora, não fique com este quê de quem não sabe do que aconteceu.
- Levante e sorria para o chuveiro.
- Aproveite e tire este cheiro de noite mal-dormida!
- Vou descer que o Zécão está com fome.
- Aproveito e faço uma canjinha para você cortar a ressaca.
- Vou preparar mais uns cajuzinhos e deixar curtir.
- Espero que você tenha aprendido a lição.
- Lembre que aperitivo é aperitivo!
- Senão, já sabe o que pode acontecer.

Eu com cara de tacho, não sei nem o que eu acho
Acho melhor correr para o chuveiro e tirar o cheiro
Do caju sei que não vou esquecer do sabor guardado
Dou a receita e peço que experimente com moderação!


Ramoore

Receita





“Caju embriagado”

Cajus maduros.
Cachaça.

Lave bem os cajus.
A seguir, com uma seringa de injeção munida da agulha,

injete a cachaça nos cajus, aos poucos.
A dose de cachaça depende do tamanho da fruta

em geral de uma a duas colheres (sopa).
Conserve os cajus na geladeira durante alguns dias antes de servir.


Obs.: O caju concentra em si grande teor de álcool,

tornando-se um aperitivo dos mais fortes.

 

 

Voltar

 

 

Página Principal