Eu e você...



Quando sinto que se aproximas no silêncio
De seus passos, pareço seguir em caminhos
Fora de compassos na fuga em desalinhos,
Trôpego a correr de seu colo que aprecio

Quando sinto que se aproximas no silêncio
De seus olhos, pareço seguir sem refletir
Fora do brilho sem ver do querer e sentir,
Trôpego no olhar a lágrima que sentencio

Quando sinto que se aproximas no silêncio
De sua presença, pareço seguir na ausência
Fora de minha alma livre, pura na essência

Quando sinto que se aproximas no silêncio
De sua voz, pareço não sentir do ar o viver
Trôpego na promessa de estar, ter e não ser.

Ramoore

 

Voltar

 

Página Principal