Boas Festas...



Todos os anos entre mil e uma formas de retribuir os votos de boas festas
procuro responder em acordo com a mensagem recebida,
 dando ao pensamento a liberdade vigiada de compor em palavras soltas
a intenção de retribuir a cada um com os mais sinceros e fraternos votos.
Às vezes, sentindo no texto oculto entre linhas comuns
 a intenção de ser diferente na expressão
de dar cumprimento aos votos em praxe
etiquetado de sócio do coração alheio,
que acreditamos ter um lugar reservado.
Não importando se abusamos do espaço reservado,
apenas, sentindo que fazer parte é ter direitos
de fazer festa e mostrar o quanto de carinho e atenção
 o nosso amigo merece ter,
sempre com a nossa melhor intenção de apreço.
E assim recebemos e mandamos nossas mensagens
 de festas em festa eufórica
de que o novo ano vai trazer a cura de todos os males,
 que o natal vai tirar todas as máculas da alma.
Enfim, que vamos ser e ter tudo que merecemos
em acordo com os desígnios divinos, ou não divinos.
Temos amigos que ao lerem nossas mensagens,
assumem diversas expressões
do assombro patético
ao assombro de ter sido retribuído
pelo cumprimento simples de desejar boas festas.
Outros se comovem em lágrimas e
acham que deveriam ter descrito suas emoções
com mais entusiasmo,
que o texto foi pequeno,
que a imagem foi comum,
 que o som está muito batido e ultrapassado,
e que os efeitos deveriam
ter mais técnica na demonstração em vídeo.
Existem amigos que fazem em escárnio
das comemorações a forma de dar votos
 de esperanças com expressões de que o natal virou comércio,
de que o ano novo já começa com tiros
 e mortes em cada esquina de nossas cidades,
mas não esquecem de nos desejar
um Feliz Natal
e um Próspero Ano Novo.
E, eu não sendo diferente de meus amigos,
sem a preocupação de estar sendo coerente
 com nossas realidades,
sem a preocupação de invadir ao credo de cada um,
sem a preocupação de ocupar espaço indevido,
sem a preocupação de pertencer a grupos distintos
na divisão da correspondente preocupação de cada grupo,
me preocupo com você
e faço da minha preocupação o agradecimento
por sua presença junto ao acompanhamento
 de meus passos despreocupados no ano que chega ao fim.
Peço ao Deus de todos nós que nos ensine a arte
de cultuar aos amigos
e que nos permita fazer da despreocupação
a singela forma de continuar
a fazer e ter o espaço em seu coração
preenchido com minha preocupação com você.

Ramoore

Voltar

Página Principal