Miosótis




Não-me-olvides em nossos caminhos
Teus passos juntos aos meus descompassos
De fugir da vida e viver sozinho
Na cruz feita de tantos embaraços

De lástimas deixadas no calvário
De meus maus dizerem dos bons dizeres
Na intenção de evitar relicários
Da perda sentida em não mereceres

Da palavra maldita na desdita
Sem sentir do azul mostrado no céu
De teu sorriso em forma bendita

No perdão dos pecados de cada dia
Nasce da luz o salvar almas no léu
Com sementes das lágrimas de Maria!

 

Ramoore

 

Jardim       Dália

 

Página Principal