COLHEITA


Sentindo o doce despertar de agitado sono,
Procuro dentre o colorido entrecortado
De nossas vidas, seus olhos verdes,
Ou seriam castanhos,
Busco no sorriso, o tom de um novo dia
Em contraste com a noite mal dormida
Sem sua presença, fantasma celeste
Que em mil diabruras, traz o gozo solitário
E rindo de minha solidão, provoca a mente
Com doces palavras de amor, fazendo
Em compassos de suspiros, sussurros que
Repetem sempre o mesmo refrão...
Encontrando seu travesseiro, procuro você,
Esqueço o sorriso, abraço a calmaria.
 

Ramoore

 

Voltar

 

Página Principal