Dama da Noite...


De tua cantada de modo grosseiro
O desejo de patentear galanteio
Mostra na noite o seres guerreiro
Da espada sem riste e sem esteio

Ficas no apagar da vela sem queimar
Do pavio perdido na falsa chama
Levanto dos olhos esconderem meu olhar
No desdenho desenho de tua fama

Nem o esboço traz ares do gracejo
Em traços cinza pinto tua galhardia
No riso amarelo que em ti eu vejo

Na noite não temo fazer amantes
Em pernas trocadas canto ousadia
De carícias sentidas de instantes

Mas de teu toque! Se toque, não desço do salto!

 

Ramoore

 

Voltar

 

Página Principal