Futuro


Hoje seguro da pena com pena
Deixo meus pensamentos em tormento
Na fuga aos sonhos de não ver da cena
Fecho do olhar enxergar do momento

Do ontem confesso o viver abobado
Na crise sentida do fazer triste
A lembrança igual azul desbotado
Da lágrima que no tempo insiste

Caminho em pés tropeçando na dor
De semelhante parição no traste
Feito desconfiança na falta de amor

Paro sem parar o coração tão só
Na margem escrevo nascer contraste
De linhas na poeira espano do pó

E choro do amanhã que não vivi!

 

 

Ramoore

 

Voltar

 

Página Principal