Primavera




Em meio a fantasias vivo de meus dias
Iguais aquarelas ingênuas e nuas
No fascínio do lume do perfume
Sinto d’alma nas cores em mil flores

Das trilhas no encanto do recanto
Meus pés em mãos colhem no seio do anseio
O encontro prometido e renascido
Do bem me queres sem ter malquereres

Crio do olhar a íris em arco-íris
Em vidas de nuanças nas esperanças
Do amanhã no mel sem conhecer do fel

Deixo das pétalas no colo solo
Desenvolver da semente em mente
Sei da espera vir à Primavera!

 

Ramoore

 

Voltar

 

Página Principal