POMO DE ADÃO

 

 

 

No celestial Paraíso,

Muito infeliz vivia Adão.

Para perder o juízo

Pouco faltava ao varão.

Sozinho a vida inteira,

Sentindo sede de amor,

Uma fiel companheira

Em breve pediu ao Senhor.

E numa noite serena,

Sem um gemido sequer,

O senhor tirou-lhe uma costela

E fez Eva a primeira mulher.

E falou-lhe com uma certa cautela

Do perigoso Satã,

Dos frutos que poderiam comer:

Uvas, pêras, romãs,

Menos a rubra maçã.

Mas Eva era astúcia e pecado,

Desobedeceu e convenceu o coitado.

E com o fruto proibido, a Bela

Quase o matou engasgado.

 

 

Clea Moore

 

 

 

Voltar

 

 

CANTINHO DA RITINHA