O grilo Pulinho

 



Uma vez, no mundo dos pequenos bichinhos
Estava a maior confusão, todos queriam falar
O besouro fazendo zumzum e a cigarra a cantar,
A pulga nervosa não parava de dar pulinhos

 

Todos queriam saber da grande novidade,
Diziam que de um lugar longe e encantado
O pequeno grilo Pulinho tinha chegado
E a notícia tinha se espalhado pela cidade

 

Os bichinhos estavam em grande alegria,
Cantavam e dançavam fazendo ciranda
Os mais velhos espiavam da varanda
E lembravam de antiga lenda da poesia

 

Quando aparecesse um bichinho falante
Dizendo em versos os problemas resolver,
Todos deveriam acreditar e obedecer
Pois o bichinho viria de um mundo distante

 

Onde, o amor existe e a paz é um direito
E mostra o caminho que devemos seguir
Para ajudar a todos e saber o que decidir,
Não julgar ninguém sem saber do feito,

 

Pois nada é mais feio do que julgar,
Sem conhecer o motivo e a verdade,
Dizer mentiras, não traz felicidade
E não devemos aos outros prejudicar...

 

Lembrando do motivo da comemoração
Os bichinhos cantavam e dançavam
Fazendo um grande roda, todos esperavam
O momento da grande apresentação

 

A pulga parou de dar pulinhos
A cigarra parou de cantar
E todos ficaram quietinhos
O grilo Pulinho ia falar

 

Subindo ao palco e muito contente
O pequeno grilo falou com emoção
Pediu que todos escutassem com atenção
E olhando, cantou todo sorridente:

 

- Pulinho, Pulinho é meu nome
- Sou um grilinho de valor
- Se precisarem de mim
- Estarei ao vosso dispor

 

Para todos compreenderem sua boa vontade
E ensinar o que aprendeu no mundo encantado
Disse que todos deviam caminhar lado a lado
Para que juntos encontrassem a felicidade

 

E, assim, a antiga lenda da poesia
Virou realidade e veio provar
A grande verdade de amar
Que é saber dar paz e alegria

 

Os pequenos bichinhos aprenderam a lição,
Para nós termos para outros algum valor
Devemos saber do que podemos dispor
Para ajudar e alegrar, sempre com o coração.

 

Ramoore

 

 

Voltar

 

CANTINHO DA RITINHA