OS FANÁTICOS

   

                                                                                                                                             RAMOORE

 

Peça em um ato

Teatro experimental

 

 

 

Personagens

                     Louco – simboliza o fanatismo

                     Sádico – o fanático em sexo

                     Esportista – o fanático em esportes

                     Artista – o fanático em artes

                     Político – o fanático em política

                     Funcionário público - o fanático na profissão

                     Religioso – o fanático na religião

 

 

Cenário – tiras de panos em cores berrantes

Guarda- roupa  (manto com todas as cores do cenário – única peça - a ser usada por todas as personagens – malha colante de cor neutra)

Maquiagem – pasta branca (sem identificar cada personagem)

 

 

 

 

 

                                                      RUBRICA

 

 

O Louco (inexistente aos olhos dos fanáticos)  procura e faz com que todos transmitam a realidade do fanatismo, sua crença e descrença, seus efeitos e defeitos. Dentro da cena, é importante que se faça sentir as tormentas criadas em torno de cada fanático. Para uma perfeita encenação do texto, deve ser elaborado um perfeito casamento do trabalho dos atores com a parte técnica

criada durante os ensaios e laboratórios. Todo o texto é feito em versos brancos, que permitem a cada ator um passeio dentro de sua criatividade na

exploração e improvisação das falas. Todo o material nascido nos ensaios poderá ser aproveitado no suporte técnico do som, da luz e da direção.

 

                                              

 

 

                                              EM CENA

 

LOUCO – Eu existo...

Existo em cada um de vocês,

Sou parte de suas vidas,

Existo. Existo...

- Claro que existo. Existo em cada uma de suas emoções, existo em cada um de seus movimentos, em cada ação, cada pensamento... sim cada pensamento seu  cria  minha existência, traz a essência de sua vida. Faz nascer

a procura, faz renascer em você o primeiro grito de vida.

Viva... procure...

Não, não precisa muita procura.

Basta seu pensamento...

Venha... vamos criar

Vamos nascer, renascer

Eu preciso de você

Sorria, isto. Sorria!

Vamos sorrir para o mundo,

Sorrir para as flores,

Sorrir para o elefante.

Dizem que todo tem um elefante em casa!

Isto. Vamos sorrir.

Sorrir para a criança, para o adolescente, para o adulto

Agora um sorriso... um sorriso terno e cheio de carinho para os...

Mas você está rindo... rindo...

Ria.. ria... ria...

Mas, lembre-se eu pedi um sorriso, só um sorriso.

Vamos ria. Ria... ria.. ria...

Ah! Vou contar-lhe um segredo,

Vou contar em versos

Que estou nascendo,

Que estou crescendo,

Vamos, ria rindo

Quero em rimas,

Rimas de pouso siso,

Mostrar que tudo começou,

Começou com um sorriso.

 

Eu existo...

Existo em cada um de vocês,

Sou parte de suas vidas...

Existo.

Sou parte de suas vidas.

Lindo, lindo e monstruosos épico epistolado no íntimo

de cada um

Diria você:

-         Vá, saia de minha vida.

 

Ora... nós não gostamos do trivial.

Pedi... peço uma lágrima, uma única lágrima.

E quando, depois de uma lágrima, vierem outras e mais outras lágrimas.

Você sabia que todos os dias, morre um elefante ,morre uma baleia.

E até os insetos morrem em casa.

Sim. Todos os dias morre um elefante em casa de alguém!

 

Vamos...

Primeiro uma lágrima para a criança,

Depois, lágrimas para os adolescentes, para os adultos e para os...

Mas, você está chorando.

Chore... chore... chore...

 

Ah! Vou contar-lhe um segredo.

Vou contar em versos

 

Que estou nascendo,

Que estou crescendo.

Vamos, chore chorando

Quero em rimas,

Rimas cheias,

Rimas martirizadas

Mostrar que tudo começou,

Começou com uma lágrima...

 

 

Eu existo...

Existo em cada um de vocês,

Sou parte de suas vidas.

Existo.

 

 

 

-                marcação para a entrada dos fanáticos

 

 

Louco – Agora, todos vocês. Todos irão sentir dentro de seus corpos.

               Irão sentir todas as emoções, todos os movimentos.

               Sim. Estarei em cada ação, em cada movimento

               E em cada pensamento.

               Agora, posso provar que existo,

               Que sou parte de suas vidas.

 

 

Cada fanático deverá se posicionar de costas para a platéia

 

 

 

Louco -  Eu existo.

               Existo em cada um de vocês,

               Sou parte de suas vidas.

                Existo.

 

(nesta cena, o louco deve procurar despertar cada personagem – o que não deve acontecer)

 

 

Louco – Porque não me vêem,

              Porque não falam,

              Olhem para mim,

               Respondam...

 

-         com a ajuda da técnica  cada fanático irá criando movimentos.

 

Louco – Ouçam!

               Estão ouvindo?

               Estão batendo nas paredes!

               Batendo nas paredes...

               Batendo nas paredes...

               Batendo...

               Nas paredes...

               Nas paredes.

 

 

marcação –

 

Louco – Não! As paredes estão andando.

              Andando...

              Andando...

              Andando...

              Sim! As paredes estão andando.

              Andando...

              Andando...

              Andando...

 

Marcação em semicírculo – com o louco ao centro

 

Louco – Vejam! São paredes humanas.

               Posso tocá-las...

               Posso sentir que têm vida

               Respondam...

               Respondam...

               Respondam...

 

(os fanáticos permanecem abstratos no semicírculo)

 

 

Louco – As paredes... ouvido... têm

               Sim ! as paredes têm ouvido.

               Vêem, falam, andam

 

(aos poucos, o semicírculo vai se fechando ao redor do louco e cada fanático vai assumindo a posição fetal)

 

Louco – Mas, estas paredes são surdas, ou será que não existo.

 

 

 

 

marcação para o nascimento do primeiro fanático. Em coreografia definida nos ensaios e laboratórios, o louco irá assumir o lugar do primeiro fanático  sem deixar a platéia perceber a troca ( pode-se fazer jogo de luzes )

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Sádico – Existo.

               Sei que existo!

               Nasci da união de um homem com uma mulher,

               Nasci da união de dois seres.

 

                            (sonoplastia)

 

                Existo... Mas, não sou parte de suas vidas.

                Sou , sua vida no mais íntimo significado.

                Nasci da união, união sexual de dois seres,

                Um homem e uma mulher

                Sou a ação, o movimento e seu pensamento

                Eu sou você,

                Eu quero você,

                Eu tenho você.

                Você, puto e imaculado entre o lixo de sua vida,

                Vida em detritos, resto de carinhos seus e meus

                Você, sujo e sórdido entre o paraíso de sua vida,

                Vida angelical, restos de carinhos seus e meus

 

 

                                (sonoplastia)

 

 

-         sexo...

-         pureza...

-         sexo...

-         detritos...

-         sexo...

-         lixo...

-         sexo...

-         êxtase...

-         sexo...

-         paraíso...

-         sexo...sexo...sexo...

-         qual o sentido? Não tem nexo.

 

 

 

                                (sonoplastia)

 

 

               Vou criar um improviso,

                Falar em versos,

                Versos de você...

                Seus pés, suas pernas e... coxas.

                Seus quadris, seu colo e seu busto

                Suas costas, seus cabelos... sua face,

                 Face a face... contra face... contra tudo.

                 Esquecendo improvisos e versos para...

                 Fazendo, sentindo, buscando e encontrando sexo,

                 Sexo, sexo sentido com você

 

 

                                        (sonoplastia)

 

                                      

-         Hoje com você, a mulher,

-         Amanhã com ele, o homem

-         E depois, talvez, com os dois,

-         Com três,

-         Com quatro, com cinco...

-         Não!

 

 

                                           (sonoplastia)

 

 

-         Parem... Eu não posso mais.

-         Sim...sim..

-         Continue... não pare.

 

                                           (sonoplastia)

 

                                                       

                            
                                   Existo.

                                   Sei que existo.

                                   Nasci da união de um homem com uma mulher,

                                   Nasci da união sexual de dois seres

 

 

                                               (sonoplastia)

 

             Despertai sublimes donzelas e mancebos!

             Despertai de seus anseios!

             Venham... venham todos, vamos embarcar em sensual viagem

              Existe vida em todo o universo,

             O universo nos espera para o gozo...

             O quê?

             Você não se acha atraente?

              Falta o Sex-ap-peal?

             Ora, não se preocupe, sei fazer despertar do sono letárgico o seu...

              E olhe que eu falo do Falo!!!

             Venha, não tenha medo.

              Em se tratando de sexo, só o passado é analisado...

              Venham , vamos fazer história... vamos historiar o sexo..

               Fazer sexo através dos tempos.

            

            

 

-         Libertinos,

-         Maníacos,

-         Bestas do sexo.

 

 

                 Ouviram. Esta é a voz do futuro.

                  E nós estamos vivendo um presente cheio,

                  Repleto de eu e você,

                  Você que é meu, que é minha e...

 

 

 

                                                  (sonoplastia)

 

                      

                    Ah! O progresso. Este sim. Faz sentido.

                     Improvisa o sexo,

                     Sexo com a mente,

                     Amor por telepatia!

                     Sexo com a máquina,

                     Amor de internautas?

                     Ou, será amor de astronautas!

                     Guerra nas estrelas, ou gozo estelar?

 

                                                (sonoplastia)

 

               Sexo com os deuses...

               Sexo com o rei,

               Com a rainha,

               Com o nobre e toda a nobreza

               Sexo com os serviçais,

               Com a dama e toda a criadagem

                Sexo... sexo... sexo...

                Sexo com você.

 

 

                                                ( sonoplastia )

 

                Sexo com o mundo,

                Mundo... sexo... sexo... mundo

                Mundo... mundo sentido,

                Mundo, nexo, no desconexo do sexo.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Marcação para a troca de fanático – sonoplastia e jogo de luzes para

(O nascimento do esportista)

                     

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Esportista –   Existo.

                      Sei que existo!

Nasci da união de um homem com uma mulher.

Nasci em pleno campeonato.

 

(sonoplastia)

 

Sou feito de sorrisos, risos, lágrimas e até de angústias.

Sou seu sorriso,

Seu riso,

Sua lágrima e angústia...

Sou você que respira, tem alegrias e tem tristezas.

Sou toda uma elite.

Uma elite de vitoriosos!

Uma elite de fracassados.

Sou você, você  sou eu vivo.

Vivo em cada pulsar de minha existência,

Que traz  a vibração, faz a essência da vida em vibração.

Sentidas e realizadas com...

 

(sonoplastia)

 

Gol... gol...

Corre garrincha...

É sua Pelé!

Segue Jairzinho,

Penetra na grande área,

Está junto ao goleiro.

Foi derrubado...

Ladrão, juiz ladrão!

Foi pênalti,

Pênalti.

 

(sonoplastia)

 

Vivo. Continuo a existir. Cada pulsar de minha existência traz a

expectativa de uma nova vitória, de um novo ídolo.

Construo em alicerces alheios toda uma vida, sentida em cada

vibração. Tornando minha vida em eterno jogo, onde o placar

não mostra o zero x zero.

(sonoplastia)

Corinthians x Flamengo

Canto do Rio x Ferroviária

Fluminense...

Palmeiras...

Cruzeiro...

Náutico...

Grêmio...

Vasco..      

                                (sonoplastia)

 

Existo.

Sei que existo!

Nasci da união de um homem com uma mulher.

Nasci em pleno campeonato.

 

( sonoplastia )

 

Ah! Quantos, quantos buscam no improviso

Construir em versos uma vida,

Duas vidas...

Toda uma final!

Flamengo, Flamengo sua glória é lutar.

Corinthians, campeão dos campeões.

E o Canto do Rio, a Ferroviária, o São Caetano.

Sim, todos eles vibram a uma só voz.

Gol... gol...gol... goooollllllllll

 

(sonoplastia )

 

Futebol,

Basquete,

Tênis,

Ping-pong

Vôlei,

Dominó, dama, xadrez,

Baralho, roleta,

Vermelho, vinte e sete.

Pelé,

Maria Ester

Fiolo

João do Pulo, ( citação de diversos atletas ).

- marcação para a tomada de posição do artista

 

 

 

Artista – Existo

Sei que existo!

Nascia da união de um homem com uma mulher.

Nasci para posteridade

 

 

               (sonoplastia)

 

Nascer, crescer e viver.

Ser você, ele, ela e o outro, ou a outra...

Galgar degraus e mais degraus.

Subir... sempre subir... até as nuvens.

Viver a cada momento, seus sonhos e ilusões.

Ser, estar, fazer parte de seus sonhos, ser sua ilusão.

E em graças e desgraças,

Com trejeitos, fazendo pantomimas da vida, seguir

Sentindo em vida, as emoções criadas

E sem embaraços, criar laços, fazer de sua cumplicidade

O reflexo sem condicionamentos sociais, ou regras para a vida.

Olhar para o espelho, encontrar você.

 

 

 

                       (sonoplastia)

 

 

telas...

tintas...

palco...

minha cena...

imprensa...

livros...

cinema...

circo...

televisão...

exposição...

teatro...

pincel... cenários... textos... inspiração... desilusão.

  (sonoplastia)

 

 

Não! Não carregue tanto o amarelo.

Deixe o verde de sua esperança,

Descansar no azul, o vermelho de nossas paixões.

E, talvez, se acontecer o branco em nossa fala.

Deixe no preto do palco, a alma chorar.

 

 

Você deveria dizer:

                                Lágrimas de crocodilo.

                                E não, crocodilos em lágrimas.

 

Talvez, se usasse o amarelo dourando o nariz,

Conseguiria uma objetiva melhor...

Você deveria andar:

                                  Para o procênico

                                  E não, para a esquerda baixa

 

 

E o menino virou herói, porque atirou a menina no poço.

 

Lembre-se que para sorrir, é preciso ir ao dentista.

 

Então? Prometes não mais atrapalhar minhas falas?

Sim. Prometo.

Ótimo. Por que assim teremos um final feliz.

 

 

                            (sonoplastia)

 

 

Esperanças...

Realidades...

Críticas...

Adversidades...

Adversidade! Adoro falar adversidade.

É preciso respirar... trabalhar o ar e a língua .

E falar, adversidade.

Não. Eu não aprecio ditar infortúnios, ou pregar a má sorte.

Apenas, gosto da palavra, pura e simplesmente, sem verbos.

 

 

                                   (sonoplastia)

 

 

 

 

 

E agora, chegou o momento maior de nossa criação,

Quero em versos, dizer dos meios diversos de criar arte,

Quero em risos e lágrimas, falar de eu e você.

Você em sonhos, contos, poesias e mil vozes

Você em espelho, óleo, guaches e mil aplicações

Você ao vivo, louco, sóbrio, normal, anormal

Você, sou eu.

Feito de barro, bronze, tinta e maquilagem, inspirados em você.

Eu...

Você...

Ele...

Ela  e o outro.

Eu...

Você...

Ela...

Ele e a outra.

Todos...

Eu.

 

 

                                   (sonoplastia)

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Marcação para a tomada de posição do político.

 

 

 

 

 

 

Político – Existo.

Sei que existo.

Nasci da união de um homem com uma mulher.

Nasci do casamento de dois seres.

 

 

É um menino...

É uma menina...

É gente.

Gente como eu.

Nasce, cresce, vive.

Será comandante, ou comandado.

Respirará sozinho, ou aprenderá a respirar.

Para respirar, precisei de máscara, mas respirei sozinho.

Não deixo os olhos abrirem, não fecho minha boca.

Você sabia que a imagem refletida, não corresponde ao ideal.

Sim. É verdade, toda correspondência é vista e revista

Em revista, e em toques marciais de olhos de olheiros.

E em se tratando de ideal, o ideal não é ditar formas,

É criar normas, é ditar em solene e bom tom, a palavra.

Sempre criada na antecedência dos fatos sem relatos, ou redatores.

 

 

                                  (sonoplastia)

 

E a srta Inês de Alcântara  Lima e Silva, aceita para seu legitimo...

 

 

                                    (sonoplastia)

 

Casamento...

Sociedade...

Povo...

Campo...

Cidade...

Promessas... promessas... missão a cumprir.

Deveres e encargos a dividir,

Criar dividendos, somar com transparência.

Não deixa transparecer a dúvida na verdade da vida,

Deixar fluir delicadamente as mãos que em presente

Firmam o futuro sempre risonho no bizarro engodo ao alheio.

 

                                      (sonoplastia)

 

 

Você sabia que para marchar:

                                                Saímos primeiro com a perna esquerda

                                                Mas, é a voz direita que ordena o movimento.

 

 

Movimento para cima, para baixo, para frente e para trás

Movimento em favor do calçamento.

Calçamento da rua, onde, moram os aleijados,

Ou aleijões, sem movimentos...

Que se movimentam para construir um teto, um abrigo.

Para abrigar as prostitutas de mais de oitenta anos.

E que estas, fazem tricô em sapatinhos e casaquinhos.

Para aquecer as futuras formandas da vida,

Que darão vidas aos novos comandados e comandantes.

 

                                  

                                   (sonoplastia)

 

 

Partidos...

Democratas...

Antidemocratas...

Um voto...

Dois votos...

Eleição...

Câmara ...

Poder...

Direto..

Indireto...

Promessas... promessas.

Sou o poder.

Tenho você, pertenço a você.

E em legítima vontade do estado de graça,

De ser você, confio e fecho os olhos.

 

 

 

                                (sonoplastia)

 

E a energia chegou.

Deu e tirou vidas,

Sobreviventes em cadeiras de roda a jato,

Conduzem a mais um límpido mar limitado.

E em porto seguro, sem aborto, batizam mais uma terra vista.

Demarcando o espaço sonhado em meio a fogos,

Que provocam dores e deixam o menino sem pai.

 

 

 

                                  (sonoplastia)

 

 

um...

dois...

cinco...

onze...

vinte e nove...

quatrocentos e noventa e um...

menos setenta e um...

é igual a quatrocentos e vinte que somado a você, dá...

 

 

O mundo.

Dividido.

Sempre dividido...

Dívidas...

Ganhos...

Juros...

Juras...

Promessas...

Promessas em promessas da remessa,

Remetida em vida,

Vida, minha vida.

 

 

                             (sonoplastia)

 

marcação para tomada de posição do funcionário público.

 

 

 

F Público –Existo.

Sei que existo.

Nasci da união de um homem com uma mulher.

Nasci em uma repartição pública.

É preciso catalogar, criar uma pasta informativa,

Mostrar produção, produzindo informações.

É preciso fazer a burocracia, com se faz um batismo,

Crismando e confirmando a existência.

Existem dez memorandos para cada recado confidencial,

Dez confidências para memorizarmos em cinco cópias:

Uma para a chefia...

Outra para o IT...

Uma para a secretária...

Outra para o CLF...

Uma outra, para não se fazer número par de cópias.

 

 

 

                               (sonoplastia)

 

 

Memorandos...

Papéis...

Máquinas de escrever...

Computadores...

Fax...

Telefones...

Telefones, que tocam sem parar,

Marcando do tempo, somando e dividindo minha vida

Em números, contados em dígitos, da esquerda para a direita,

Sempre uniformes e formatados em tabelas de índices,

Que indicam o caminho a fazer,

Criando máquinas...

Máquinas de fazer gente...

Máquinas de matar gente...

Ônibus...

Horas passando...

Atraso.

O relógio do ponto...

O chefe...

A secretária...

                                      (sonoplastia)

Papéis...

Papéis..

Papéis...

Serviço atrasado...

Serviço em dia...

Papéis...

Papéis...

Papéis...

Arquivo...

Arquivando...

Arquivado...

Alfabetizando aos números...

Numerando as letras....

Criando códigos,

Codificando em fiel cumprimento do dever,

Fazendo do papel, o melhor papel.

Recomendações em solicitações constantes,

Fazem do óbito, o nascimento da pesquisa,

Calculando em esquemas a criação de mão de obra.

 

                            (sonoplastia)

 

Trabalho...

Trabalho...

Horas extraordinárias...

Trabalho...

Trabalho...

Ônibus...

Casa...

Papéis... memorandos sempre em dia...

Meu trabalho...

Minha casa...

Meu trabalho... minha casa... trabalho... casa

Papéis... memorandos

Papéis...

O chefe... a secretária... papéis...

Eu... sou também feito de papel...

Papel...papel...papel...

Eu.

                                        

  (sonoplastia)

marcação para a tomada de posição do religioso

 

 

 

Religioso –  Existo.

Sei que existo.

Nasci da união de um homem com uma mulher.

Nasci do encontro de dois seres.

 

 

Faço parte, sou o ser gerado em cismas,

Amores, encontros e desencontros de vidas,

Vivo sublimando em versos  e orações,

Cantadas e recantadas no compasso da fé.

Encontro e  procuro encontrar o porque da razão.

 

 

Toda condição de diálogo, é complexa.

Quão complexo , é todo despertar para as realidades.

E sendo conhecedor do homem , encontro em dogmas,

Interpretações, louvações e saravas...

A fonte única, a verdadeira essência da vida.

Encontro o porque do barro de Adão e a maçã de Eva.

Busco em Babel, a discriminação sócio-ecológica,

Encontro no sacerdócio o verbo sem tempo e espaço.

 

                             (sonoplastia)

 

Fugas...

Rituais...

Celibato...

Mitos...

Crendices...

Moedas...

Muitas moedas em formas e formatos de mãos  chorosas

Que sorriem ao doar ao próximo e distante lugar ao céu,

A certeza do compromisso firmado, trocado

Tirado do pão de cada dia, deixando sem leite,

Mas trazendo para elite formalizada e paramentada

O deleite de estar no paraíso ...

Crismando em dogmas...

Sempre em dogmas...

                          (sonoplastia)

 

 

 

Minha vida.

Toda uma vida encontrada em religiosa abstinência,

Fugindo aos mundanos passos da matéria,

Ocultando ao leigo, os prazeres da alcova.

Sublimando a crença:

                                    

                                     Glórias ao Santo guerreiro,

                                      Vide os passos de Jorge da Capadócia,

                                       Saravá Ogum,

                                        Palmas ao testemunho de Jorge.

 

Batizado, crismado, confirmado por mãos que abençoam,

Sem tirar dos dedos, os anéis.

 

 

                                (sonoplastia)

 

Enquanto todos procuram, eu encontro.

Encontrei e continuo a me integrar na realidade,

Cada vez mais em crescente vontade de ser da verdade,

A palavra dita, maldita e bendita da razão de ter vida.

 

 

.                                   (sonoplastia)

 

Encontros....

Desencontros...

Procuras...

Continuidades...

Deuses...

Profetas...

Santos...

Espíritos...

Natureza...

Eu.

 

                                    (sonoplastia)

marcação para tomada de posição do louco

 

 

 

Louco -    Existo.

Continuo a existir.

Agora, mais do que nunca...

Cumpri minha missão,

                       Estou sempre a cumprir, sempre a existir.

 

 

                                                     (sonoplastia)

 

As paredes...

As paredes humanas caíram...

Caíram as paredes...

Mortas...

Estão mortas.

 

                    (fala com a platéia)

 

E vocês...

Estão vendo...

Estão ouvindo...

Porque não falam?

Ah! Já sei...

São outras paredes...

Paredes sensuais e sexuais...

Paredes que num ato,

Jogam toda uma vida...

Paredes que falam e prometem,

Que definem em um certificado...

Paredes que em silêncio

Irradiam suas descrenças e crenças no porque da vida.

 

 

 

 

 

                        (Sonoplastia)

 

 

As paredes...

Ouvido ...

Tem...

 

 

As paredes têm ouvido.

 

 

-         marcação para o término do espetáculo 

 

     - todos os fanáticos em movimentos com expressão nula,

 formam uma parede (um pilar) em que sustentam o louco.

 

 

Louco – Existo.

Existo em cada um de vocês,

Sou parte de suas vidas.

Existo.

Continuarei a existir em cada um,

Fazendo elefantes nascerem e morrerem.

Fazendo do sorriso, uma gargalhada.

Fazendo da lágrima, o desespero.

Sentidos em você, transmitidos por mim.

 

 

                                           (sonoplastia)

 

- marcação   - a coluna vai desmoronando, permanecendo de pé, somente o louco.

 

 

Louco – EXISTO...EXISTO...EXISTO....

 

 

-         apagam-se a luzes, o louco precipita-se para a platéia, aos gritos

 

Existo, continuo a existir em cada um de vocês...

Existo... Existo... Existo.

 

 

 

 

VOLTAR