Jasmim


De minhas emoções feitas em flores
Sinto da vida reciclar perfumes
Em risos e lágrimas incolores
Na troca de carinhos e queixumes

Permito de minh’alma aos devaneios
Ousar no jardim colher inspiração
Das cores e das formas como esteios
De versos que não falem da solidão

Mas a verdade teima na saudade
Tirar proveito da rima em essência
Na perda de afetos e da idade

Volto aos tempos do menino em mim
A lembrança de uma branca Gardênia
Que minha Mãe olhava como Jasmim

Junto a um Anjo no último adeus!
 

Ramoore

 

Voltar

 

Página Principal