Misericórdia


Da pena em pena do falar adeus
Sem prever das dores da partida
No desencontro de meus olhos aos Teus
Em pesares da perda ressentida

Na oração presa das mãos libertas
Cheias da fé e dúvidas na aflição
Do corpo sofrido nas chagas abertas
Sem ter do arbítrio na ressurreição

Faço da palavra em Credo na Cruz
Da volta em viravoltas de lições
No consolo igual crença que seduz

Sinto do peito resguardar temores
De feitos e defeitos nas ilusões
Em linhas do poeta abrigar das dores

Na discórdia, peço misericórdia!

 

 

Ramoore

 

Voltar

 

Página Principal