Tropeços...



Sem rumo em rumo não vejo norte
Vindo do desencontro da lágrima
Em peito fechado fujo da morte
No amor versado do paradigma

Entre belas e buliçosas pernas
Mexo e remexo do desconexo
No gozo incoerente do apenas
Saio de saia levantada para sexo

Aberto ao próximo ter desejo
Confesso em confesso do profano
Divido divisas do benfazejo

Não importo da esquina ser sina
Da malícia provo fazer engano
Na troca sem troco o ato termina!
 

 

Ramoore

 

Voltar

 

Página Principal