Mulher...

 



Na ânsia de ver das estrelas a luz
Sigo meu caminho meio apagado
Na ausência da cruz feito de ateu
Encontro desolado da descrença

Não sei de meus passos sem teu abraço
Preso na liberdade de teu colo
Fico no embaraço de menino
Embalando me consolo no calor

Sinto do frio ir embora de meus dias
Na verdade de tua presença terna
Eternizo da poesia nascer mulher

E sem fugir da rima sem retrato
Da face materna à face amante
De teus olhos importo ser amado

Vem! Ensina-me do caminho...

 

Ramoore

 

Voltar

 

Página Principal