Nuvens...

 




Olho do céu sem enxergar estrelas
Em fuga do nada contra explorar
Desfaço mil aquarelas pintadas
Na tela solta no ar sem ótica

Retoco da troca o tocar no toque
No prazer desprezo de meus pesares
Do desalinho torque da escolha
Em falsos pilares assimétricos

Tripudio da desventura tríplice
Sorrindo amarelo da lágrima
No vértice dos sonhos incolores

Volto em voltas girando do giro
No pincel deixo pintar o estigma
Da vida vivo sem atirar pedras...

 

Ramoore

 

Voltar

 

Página Principal