Olhar Perdido



Entre paredes sem notar dos confins
Divididas emoções em caminhos
Sem mãos unidas na troca de afins
Fazem na distância perder carinhos

No branco manchado pela fumaça
Lembro do vício que esqueço deixar
Na lembrança a lágrima que ameaça
Da vida em cinzas feito o desbotar

De tua ausência no hoje provocado
Igual sombra zombando da presença
No abraço confuso e sempre lembrado

Em cada espiral lançado ao vento
Viro folha seca sem esperança
Apago o cigarro em meu tormento!

 

Ramoore

 

Voltar

 

Página Principal